Combate ao Tráfico de Animais 

Criadores criatórios criadouros comerciais autorizados legalizados IBAMA aves pássaros filhotes mansos casais reprodutores psitacídeos canoros tucanos ornamentais aquáticos rapina domésticos exóticos silvestres Rio Branco AC Maceió AL Macapá AP Manaus AM Salvador BA Fortaleza CE Brasília DF Vitória ES Goiânia GO São Luis MA Cuiabá MT Campo Grande MS Belo Horizonte MG Belém PA João Pessoa PB Curitiba PR Recife PE Teresina PI Boa Vista RR Porto Velho RO Rio de Janeiro RJ Natal RN Porto Alegre RS Florianópolis SC São Paulo SP Aracaju SE Palmas TO

Combater o tráfico de animais silvestres é um ato para a preservação de nossa fauna e de todo o meio ambiente.

Denuncie, você não precisa se identificar:

Tel: 0800 61 8080 - Segunda a sexta feira: 07h00 às 19h00 ou através do link: https://www.gov.br/ibama/pt-br/canais_atendimento/fale-conosco#ouvidoria

Entrega Voluntária de Aves ao Ibama 

Cetas.png

Se você possui uma ave nativa ou exótica, sem a documentação legal, você pode entrega-lá voluntariamente ao IBAMA sem sofrer punições.

Procure o CETAS - Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama mais próxima de sua residência:

Clique no link abaixo: 

https://www.gov.br/ibama/pt-br/composicao/quem-e-quem/centros/cetas

Lei de Crimes Ambientais.

Lei nº 9.605 de 12/02/1998  (Resumo parcial) 

Capítulo V - Dos Crimes Contra o Meio Ambiente

Seção I - Dos Crimes contra a Fauna

Art. 29. Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida:

Pena - detenção de seis meses a um ano, e multa.

§ 1º Incorre nas mesmas penas:

I - quem impede a procriação da fauna, sem licença, autorização ou em desacordo com a obtida;

II - quem modifica, danifica ou destrói ninho, abrigo ou criadouro natural;

III - quem vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, bem como produtos e objetos dela oriundos, provenientes de criadouros não autorizados ou sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente.

§ 2º No caso de guarda doméstica de espécie silvestre não considerada ameaçada de extinção, pode o juiz, considerando as circunstâncias, deixar de aplicar a pena.

§ 3° São espécimes da fauna silvestre todos aqueles pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham todo ou parte de seu ciclo de vida ocorrendo dentro dos limites do território brasileiro, ou águas jurisdicionais brasileiras.

§ 4º A pena é aumentada de metade, se o crime é praticado:

I - contra espécie rara ou considerada ameaçada de extinção, ainda que somente no local da infração;

II - em período proibido à caça;

III - durante a noite;

IV - com abuso de licença;

V - em unidade de conservação;

VI - com emprego de métodos ou instrumentos capazes de provocar destruição em massa.

§ 5º A pena é aumentada até o triplo, se o crime decorre do exercício de caça profissional.

§ 6º As disposições deste artigo não se aplicam aos atos de pesca.

Comentários:  Quem compra uma ave silvestre nativa ou silvetre exótica ilegalmente e for pego pela fiscalização, terá a sua ave apreendida, será registrado boletim de ocorrência, pagará uma multa, será processado por crime ambiental, terá que comparecer em audiência perante a um juiz, este crime será registrado em sua ficha de antecedentes criminais, pode ser condenado de seis meses a um ano de reclusão.  Considerando as circunstâncias o juiz pode deixar de aplicar a pena de detenção, mas todas as outras medidas serão tomadas.  Ou seja, não compre aves ilegais.

Site do Ibama.